Harmony Clean Flat Responsive WordPress Blog Theme

[RESENHA] Um brinde aos que vão morrer - Tuca Hasserman

11:02 Gisele Dute 8 Comments Category :

Um brinde aos que vão morrer
Tuca Hasserman
Autopublicação, 2015
300 páginas
SINOPSE:
Se existisse concurso para Miss Universo Manipulação, Quilly Jensen sem dúvida seria coroada. Ela decidiu que se casaria com um homem rico e teria uma vida de rainha. Obstáculo é uma palavra que Quilly Jensen traduz como oportunidade de aprendizado. Por isso, o fato de seu alvo – o advogado e empresário milionário Jorge Azevedo – ser casado e ter uma amante não a desencoraja nem por um segundo.

Li esse livro há uma semana e ele não irá sair da minha cabeça enquanto eu não fizer uma resenha, então vamos lá.

Quilly Jensen é uma protagonista inusitada. Na primeira linha do livro você já consegue perceber sua personalidade. 
Desde adolescente ela colocou na cabeça que casaria com um velho podre de rico e viveria da melhor forma possível. Seus planos não a impedem de ir em festas, ficar com quem quiser e curtir sua juventude.

Cada um de nós se faz por sua história de vida, pela maneira como reage às coisas que lhe acontecem. A sociedade tem mania de tentar enquadrar todo o mundo em seus padrões, como se fôssemos feitos em série. Eu sou como sou, e quem não gostar que se dane.  

Com o desenvolver do livro, percebe-se o quão manipuladora ela é, principalmente enquanto ela tentar fisgar o Jorge, ainda mais porque além de esposa, ele ainda tem uma amante.
Mas a surpresa, para mim, não foi esse plot e sim o outro que surge mais ou menos no meio do livro.

A autora acrescenta uma outra narradora, a Fabíola, a melhor amiga da Quilly e essa se mostra uma pessoa extremamente reprimida e invejosa. A parti daí, o livro vira uma loucura! Acontecem tantas coisas e eu me vi lendo desesperadamente e o terminando no mesmo dia.

A Quilly não entende isso. Mulheres solteiras são vistas como desprezadas. Ela deve estar é desesperada pra arrumar alguém que a queira. Na cama todos a querem, lógico, mas pra compromisso sério, jamais.  

Foi uma leitura extremamente prazerosa para mim e mesmo eu tendo um pouco de repulsa pela Quilly no início, eu passei a amar essa anti-heroína com todo coração. 

Jorge não gostou nem um pouco das demonstrações de carinho entre as garotas, mas o fiz ver que ser preconceituoso estava fora de moda.  

Recomendo a todos.

Acredite, plebe rude: a vida é uma festa!  

Links: Amazon & Skoob

RELATED POSTS

8 comentários

  1. Esse livro com certeza entra na minha lista, ainda mais com esse tipo de história, adorei a resenha... bjoks

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha Opa, vai amar!!!

      Obrigada ;D

      Beijos :D

      Excluir
  2. Oi, Gi!
    Nunca tinha ouvido falar desse livro, mas quando vi sua atualização no face o nome já me chamou a atenção. Protagonistas que fogem do padrão inocente e ingênua, adoooro. Vou ficar de olho nele!

    Indiquei o blog na tag 8 coisas no meu blog pessoal, depois da uma passada e responde ela por aqui!


    bjs
    http://agarotaquesemeavapalavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, o livro é muito bom. Eu me surpreendi bastante!
      Ela é o oposto de ingenuidade haha

      Vou lá no blog agora!!!

      Beijão :*

      Excluir
  3. Gostei muito da capa e parece-me que ela combina muito com o que li em sua resenha. Gosto de ler livros onde as mulheres são fortes e não se deixam abater. Parabéns pela resenha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, muito obrigada.

      O livro é ótimo!

      Abraços.

      Excluir
  4. Anti-heroínas é uma das minhas leituras preferidas. As que tem coragem de fazer !!! Parece bem interessante e texto dinâmico

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh, você vai gostar.

      Obrigada por comentar.

      Abraço.

      Excluir